Motorista de app diz à polícia que idoso gravado morto em banco no RJ estava vivo no trajeto

Paulo Roberto Braga, 68 anos, estava vivo no trajeto até o banco onde foi gravado sem vida por funcionários do local na última terça-feira (16)

436301612_1206212057183387_7509819864921275060_n
Motorista de app diz à polícia que idoso gravado morto em banco no RJ estava vivo no trajeto
Paulo Roberto Braga, 68 anos, estava vivo no trajeto até o banco onde foi gravado sem vida por funcionários do local na última terça-feira (16), segundo o motorista de aplicativo que levou o idoso ao local acompanhado de Érika de Souza Vieira Nunes, 42. O fato ocorreu em uma agência bancária de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.
O Globo teve acesso ao depoimento à polícia em que o motorista disse que “ele (Braga) chegou a segurar na porta do carro”. Conforme o motorista, o episódio ocorreu no momento do desembarque do veículo, no estacionamento de um shopping no bairro.
Na sequência, Érika o colocou em uma cadeira de rodas. Ainda segundo o motorista, o idoso e a mulher não foram deixados na agência bancária, porque o acesso de veículos é proibido no local e, então, ele encerrou a corrida no shopping.
Em depoimento, o motorista afirmou ainda que a corrida foi acionada por volta das 12h26min de terça-feira e que, ao chegar no local, Érika estava aguardando no portão da casa com o idoso. No caminho, o motorista chegou a questionar a mulher como ela faria para descer com Paulo Roberto quando chegasse ao destino.
Contudo, a cuidadora alegou que pegaria uma cadeira de rodas da agência bancária para se deslocar com o idoso. O motorista afirmou que chegou a ficar sete minutos sozinho com o idoso no carro aguardando a mulher voltar com a cadeira de rodas até o estacionamento.
Outro rapaz que trabalha como mototaxista e ajudou a colocar o idoso no carro também foi ouvido. Ele conhecia tanto o idoso quanto Érika e confirmou em depoimento que o homem estava vivo ao ser colocado no carro.
— Quando entrei na casa, Paulo estava deitado na cama. Peguei Paulo pelos braços com a ajuda de Érika, e o levei até dentro do carro. Consegui perceber que ele ainda respirava e tinha forças nas mãos — disse.
Causa da morte
O laudo do IML aponta que a causa da morte foi broncoaspiração do conteúdo estomacal e falência cardíaca. A conclusão do perito que assinou o documento é de que “não há elementos seguros para afirmar, do ponto de vista técnico e científico, se o Sr. Paulo Roberto Braga faleceu no trajeto ou interior da agência bancária, ou que foi levado já cadáver à agência bancária”.
O laudo também expõe que Paulo Roberto estava “previamente doente, com necessidades de cuidados especiais”. À polícia, Érika se apresentou como cuidadora do idoso, além de apontar ser prima ou sobrinha de consideração dele.
Entenda o caso
Érika de Souza Vieira Nunes chegou a um banco em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro com Paulo Roberto Braga, 68 anos, em uma cadeira de rodas. Ele seria tio da mulher e estava com um empréstimo pré-aprovado na instituição. Para concluir a operação, de R$ 17 mil, era necessária a assinatura de documentos presencialmente. Foi durante esse processo que atendentes da agência perceberam que algo não estava certo.
Em imagens gravadas no local, o idoso aparece desacordado em uma cadeira de rodas e não responde às interações da mulher, que faz perguntas e comentários. Ela chega a perguntar se o homem está ouvindo e pede para que ele assine documentos solicitados pelo banco. “O senhor precisa assinar. Se o senhor não assinar, não tem como”, diz em um trecho.
Funcionários do local alertaram a mulher sobre a aparência do idoso, que estava pálido e sem reações, e, em seguida, acionaram a polícia. Médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também estiveram no local e constataram a morte do idoso, que teria acontecido horas antes. De acordo com a Polícia Civil, o corpo do homem foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).
A mulher foi conduzida para a 34ª DP (Bangu), onde foi autuada em flagrante por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio a cadáver. A advogada de defesa do caso, Ana Carla de Souza Correa, afirma que o idoso chegou vivo à agência, contrariando a alegação de que ele já estava morto antes de chegar ao local.
Fonte: GZH
Foto: Reprodução Redes Sociais

Compartilhe

Motorista de app diz à polícia que idoso gravado morto em banco no RJ estava vivo no trajeto

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Veja também!

Confira outras notícias

INMET emite alerta laranja de perigo para tempestade para Reg...

INMET emite alerta laranja de perigo para tempestade para Região Noroeste

Temperaturas se elevam antes do avanço da frente fria no RS

Temperaturas se elevam antes do avanço da frente fria no RS

Digite aqui o título da sua notícia / artigo

Descreva aqui um pequeno resumo para sua notícia. Sugestão de no máximo 140 caracteres.

Brigada Militar e Polícia Civil prendem homem por Posse Irreg...

A Brigada Militar, através do 29°BPM e a Polícia Civil, através da Draco, na terça-feira (21/5), desencadearam operação conjunta em Ijuí

Dois corpos, e perna de possíveis vítimas foram localizados n...

Seguem as buscas por desaparecidos após a catástrofe que atinge o Rio Grande do Sul, e que também deixou rastros de destruição e ceifou vidas no Vale do Taquari.

Venâncio Aires confirma morte de morador por leptospirose apó...

A Prefeitura de Venâncio Aires, cidade do Vale do Rio Pardo a 133 km de Porto Alegre, confirmou uma morte por leptospirose nesta terça-feira (21).

Renascer FM
Av. Bento Gonçalves, 953 - 2º Piso, Centro, Campo Novo - RS
Copyright © 2024
Renascer FM
Av. Bento Gonçalves, 953 - 2º Piso, Centro, Campo Novo - RS
Copyright © 2024
Atendimento por WhatsApp
Estúdio
Rádio Renascer FM
Atendimento das 08:00 às 18:00hs de segunda a sexta.
Atendimento por WhatsApp
Estúdio
Rádio Renascer FM
Atendimento das 08:00 às 18:00hs de segunda a sexta.

Renascer FM

Copyright © 2024

Este site utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência. Ao clicar em 'ok" e continuar navegando, você concorda com a nossa política de privacidade